JOÃO PEDRO MARCELINO

JOÃO PEDRO MARCELINO

JOÃO PEDRO MARCELINO

CURRÍCULO
____________________________

  • Licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Coimbra em 1988.
  • Especialista em Cirurgia Maxilo-Facial pela Ordem dos Médicos desde 1997.
  • Médecin Résident Étranger dos Hospices Civils de Lyon, no Serviço de Chirurgie Maxillo-Faciale (Prof Jean-Luc Beziat) de 1992 a 1995.
  • Desempenhou as funções de Consultor/Assistente Graduado de Cirurgia Maxilo-Facial do Centro Hospitalar e Universitário Coimbra até Julho de 2015.
  • Assistente convidado da Faculdade Medicina Universidade Coimbra até Julho de 2015.
  • Fellow do ‘European Board of Oro-Maxillo-Facial Surgery’.
  • Membro do Conselho Directivo do Colégio da Especialidade de Cirurgia Maxilo-Facial da Ordem dos Médicos até 2015.
  • Conselheiro para a Cirurgia Maxilo-Facial no Conselho Médico-Legal do Instituto Nacional de Medicina Legal.
  • Councilor (representante Portugal) da International Association for Maxilofacial Surgery (IAOMFS).
  • Colaboração com o Serviço de Neurocirurgia do Hospital Pediátrico de Coimbra, na Cirurgia das Malformações Craniofaciais.

 

RESUMO

_______________________________________

TÍULO: Assimetrias Faciais

A assimetria facial é uma característica humana comum, que muitas vezes não é notada pelo próprio paciente nem pelas pessoas que com quem ele convive. Entretanto,  torna-se relevante quando o próprio paciente relata alguma alteração. A avaliação profissional deve ser requisitada para que a etiologia seja estabelecida através de diversos métodos de diagnóstico. A deformidade poderá decorrer de fatores genéticos, como encontrado em pacientes portadores de microssomia hemifacial, ou adquirida em traumas e patologias. O tratamento das assimetrias faciais tem como objetivo um resultado estético satisfatório e, principalmente, estabilidade oclusal e funcional. O plano de tratamento é elaborado de acordo com a etiologia, a severidade da deformidade, a idade do paciente e as áreas afetadas, corrigindo a deformidade instalada ou impedindo sua evolução.

O advento do “digital”, em particular com a conjunção do TAC e fotografia 3D possibilitada por alguns software,  permite um diagnóstico e planeamento cirúrgico com muito menor margem de erro e  permite efectuar, com segurança e certeza, num só tempo operatório, múltiplos gestos cirúrgicos alem da cirurgia ortognatica convencional (tais como genioplastia, rinoplastia, remodelações bordo basilar ou próteses malares.

Spodf 2018